O pensamento de Marx continua vivo na luta dos/as trabalhadores/as

No último sábado, 5 de maio, completaram-se 200 anos da morte de Karl Marx. Em 1818, nascia o homem que fundou o materialismo crítico e dialético, transformando o pensamento ocidental.

Curiosamente, Marx foi tema de uma discussão ocorrida na semana passada entre o ex-reitor da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) e atual chefe de gabinete da reitoria, José Roberto Provesi, e a coordenadora do curso de Odontologia da universidade, Lídia Morales. Em uma postagem no Facebook, Lídia fez críticas à festa do trabalhador oferecida pela instituição e encerrou com uma citação de Marx, segundo a qual “A desvalorização do mundo humano aumenta em proporção direta com a valorização do mundo das coisas”. Em sua reposta, Provesi retrucou que “Quem cita Karl Marx precisa desconstruir o modelo mental ou residir na Venezuela” e escreveu que Marx foi “vagabundo desocupado, sendo sustentado pela mulher enquanto escrevia o livro ‘O Capital’, e que só teve um emprego fixo na vida por breve período.” A contenta foi reproduzida no site do Diarinho (https://diarinho.com.br/noticias/geral/bafao-de-grandoes-da-univali-no-face/).

A Contee e o Sinpro Itajaí e Região repudiam a fala misógina do ex-reitor e também desvalorização do pensamento e do trabalho intelectual de Marx, bem como o discurso xenofóbico implícito na referência à Venezuela. A Confederação e o sindicato ressaltam também que o pensador alemão contribuiu como poucos para a compreensão da sociedade, com uma perspicácia intelectual e uma crítica aguda sobre os desdobramentos do capitalismo e da luta de classes — incluindo ao que hoje se refere ao capital financeiro, que tanto afeta a educação — que permanecem extremamente atuais e persistentes.

A luta contra a opressão dos trabalhadores e trabalhadoras, entre os quais está a categoria representada pela Contee e pelo Sinpro Itajaí e Região, continua a manter vivo o pensamento de Marx.

Da Contee e do Sinpro Itajaí e Região